Quem Somos

__

A Associação Maringaense Odontológica

Desde 1953 a Associação Maringaense de Odontologia (AMO), regional ABO, vem atuando fortemente na unificação da classe odontológica em Maringá, na capacitação profissional e em responsabilidade social. A Amo é uma entidade comprometida com o desenvolvimento e atuação na área odontológica.

Atualmente conta com vários cursos de especialização em Odontologia que acontecem no centro de pós-graduação da instituição, UniABO. Mensalmente são realizados atendimentos clínicos e radiográficas em diversas especialidades, fornecendo tratamento de excelência com profissionais capacitados à população. Além disso, a Associação realiza frequentemente palestras científicas gratuitas para toda classe e também disponibiliza uma extensa área de lazer para associados. Faça parte desta história, junte-se à AMO.
Nossa História
O início da Odontologia em Maringá

Com o início da colonização de Maringá, passou a ser nela exercida a maioria das atividades profissionais, inclusive o atendimento odontológico, que era feito em aparente sincronia entre jovens cirurgiões-dentistas diplomados e dentistas práticos, ambas as categorias com excelente clientela.
Os registros indicam o Dr. Henrique Pinto Pereira como o primeiro cirurgião-dentista formado a clinicar em Maringá. Chegou a essa cidade em 1946 e se instalou no “Maringá Velho”, onde exerceu sua profissão até meados de 1950.
Primo Monteschio montou seu consultório dentário no “Maringá Velho” em abril de 1946 (teria chegado a Maringá em 1944, quando adquiriu uma propriedade agrícola na Estrada Guaiapó). Dentista prático, muito habilidoso, foi conquistando clientela. Mais tarde transferiu seu consultório para o “Maringá Novo”, na Rua Santos Dumont, onde, além de dedicar-se ao atendimento odontológico, administrou a primeira casa de artigos dentários da cidade, a Dental Maringá. Em 1960 encerrou suas atividades de dentista.

Os anos 50

Nos anos 50, a Odontologia estava ainda bastante atrasada no Brasil, principalmente quanto aos avanços tecnológicos e ergonômicos. Dessa forma, nossos melhores equipamentos (equipo com motor, cadeira, cuspideira, lâmpada luminar - que mais aquecia que iluminava -, ar quente e uma série de pontas dependuradas para as mais diversas tarefas, inclusive cautério) exigiam que o dentista trabalhasse de pé.
Onde não existia energia elétrica, como em Maringá, o equipamento era bem diferente: a cadeira era regulada a pedal, o motor era tocado com o pé, a “luminária” era a luz da janela, a esterilização era feita com fogareiro a querosene...  Com a evolução da cidade, alguns prédios começaram a dispor de energia elétrica própria por algumas horas do dia e durante certo período à noite. Então, os consultórios odontológicos começaram a melhorar: apareceram os primeiros aparelhos de raios X, equipos mais modernos...

Em 1950, exerciam a odontologia em Maringá os seguintes profissionais: Arnoldo de Oliveira e Arno Wilibaldo Wier, ambos clinicando no “Maringá Velho”, Elly de Matos Cordeiro, Francisco Duarte Filho, José de Carvalho Silva Jr., Eduardo Theobaldo de Assis, José Ribeiro de Faria, que tinha como ajudante um dentista prático apelidado de “Totó”, e Primo Monteschio. A clínica de José Ribeiro de Faria, cirurgião-dentista formado, disputava com a de Primo Montéschio, dentista prático, a condição de preferida pelos moradores da cidade.
Em 1951, no dia 24 de junho, quando Maringá acabava de quatro anos de emancipação (ocorrida no dia 10 de maio), aqui chegaram, com seus aparelhos e mudanças em um caminhão (como a maioria dos pioneiros), Newman da Silva Gomes e Laércio Nickel Ferreira Lopes.
A partir de então, outros jovens cirurgiões-dentistas foram também se instalando em Maringá, como Hélio Moreira, Maria de Lurdes Borelli Cid, Raul Lopes de Oliveira, Rubem Garcia Bastos, Jefferson Caligueri, José Carlos Rosas, Luiz Roberto Nickel Ferreira Lopes, Felip Aszalos e Carlos Arouca.
Newman da Silva Gomes conta que, com a eleição, em 1952, do primeiro prefeito de Maringá, Inocente Vilanova Júnior, e a instalação da Comarca, Maringá começou a viver um verdadeiro “Eldorado”. Para cá veio grande número de profissionais da área: dentistas práticos, cirurgiões-dentistas diplomados, e até alguns “dentistas” com diplomas falsos, porém “devidamente registrados nos departamentos competentes de Curitiba”.

A Fundação

Em 1953, Maringá tinha já cerca de 25 dentistas. A cidade se desenvolvia rapidamente, e a Odontologia tomava novos impulsos. Sentia-se a necessidade de maior união da classe, objetivando principalmente o aprimoramento profissional e o cadastramento dos dentistas, para o afastamento dos falsos.
Foi assim que, depois de reuniões nos consultórios do dentista Dr. Newman da Silva Gomes e do médico Dr. Hélenton Borba Cortes (que mais tarde se tornaria chefe do posto de saúde), ficou decidido que todos os dentistas da cidade seriam convidados para uma reunião prévia que teria por finalidade a fundação de uma entidade que deveria congregá-los, bem como aos dentistas da região.

Os Fundadores

A reunião de fundação realizou-se na noite de 14 demaio de 1953, no salão do Aero Clube de Maringá, principal clube social da cidade, situado na Avenida Anchieta (onde hoje se localiza o Supermercado Muffatão). Assinaram o livro de presenças as seguintes pessoas (pela ordem de assinatura):
Newman da Silva Gomes (que presidiu a reunião), Raul Lopes de Oliveira, Eduardo Theobaldo de Assis, Laércio Nickel Ferreira Lopes, Rubens Garcia Bastos, Jefferson Caligueri, José Carlos Rosas, Katassi Kadaoca, Luiz Roberto Nickel Ferreira Lopes, Felip Aszalos, José de Carvalho Silva Jr. , Carlos Arouca e Maria de Lurdes Borelli Cid.

Nessa reunião foi fundada a Associação Maringaense de Odontologia (AMO) ficando nomeada uma diretoria provisória, incumbida de elaborar o estatuto e tomar outras providências, assim constituída: Presidente - Newman da Silva Gomes; secretário - Luiz Roberto Nickel Ferreira Lopes; Tesoureiro - José de Carvalho Silva Jr.
Dois dias depois, realizou-se na residência do Dr. Newman uma reunião em que estiveram presentes os Drs. Hélenton Borba Cortes e Silvio Bonoldi, ambos médicos, e Napoleão Moreira da Silva, conceituado político e presidente da União Democrática Nacional (UDN). Queria o Dr. Newman obter apoio social e político para a nova entidade, pois sabia das dificuldades que teria pela frente, principalmente para o saneamento relativo aos falsos dentistas. Essas dificuldades ficaram posteriormente comprovadas. Por exemplo, assinaram o livro de presenças da fundação dois “dentistas“ com diplomas falsos registrados na Saúde Pública de Curitiba, fato que foi esclarecido após ser solicitada confirmação de formatura às Faculdades nomeadas nos diplomas.

A Primeira Diretoria Eleita

Em 01 de junho de 1953, com a aprovação do estatuto, a AMO iniciou suas atividades, elegendo sua primeira diretoria, assim constituída:
Presidente - José de Carvalho Silva Jr.; Vice-presidente - Newman da Silva Gomes; 1.o secretário - Luiz Roberto Nickel Ferreira Lopes; 2.o secretário - Rubens Garcia Bastos; Tesoureiro - Jefferson Caligueri; Bibliotecária - Maria de Lurdes Borelli Cid; Orador - Hélio Moreira; Conselho Fiscal - Laércio Nickel Ferreira Lopes, José Carlos Rosas e Felip Aszalos.

Assinaram a ata de fundação os seguintes cirurgiões-dentistas: José de Carvalho Silva Jr., Newman da Silva Gomes, Luiz Roberto Nickel Ferreira Lopes, Rubens Garcia Bastos, Jefferson Caligueri, Maria de Lurdes Borelli Cid, Hélio Moreira, Laércio Nickel Ferreira Lopes, José Carlos Rosas, Felip Aszalos, Eduardo Theobaldo de Assis, Raul Lopes de Oliveira, Carlos Arouca, Katassi Kadaoca, José Peres, Massaro Kubo, Rizzo C. Costa, Arno Wilibaldo Vier e Arnoldo de Oliveira.

A Primeira Tarefa: Combate aos Dentistas Práticos

Com a fundação da AMO e a posse do Dr. Borba Cortes como chefe do posto de saúde, encetou-se uma firme campanha contra o exercício ilegal da Odontologia, para o que houve o decisivo apoio legal do jovem e intransigente promotor público Dr. João Paulino Vieira Filho, que mais tarde iria exercer por dois mandatos o cargo de Prefeito de Maringá.
Para ilustrar a firme decisão da promotoria pública em defesa do exercício legal da Odontologia, cita-se o caso do atendimento odontológico prestado por um ambulatório criado em 1964 por alta autoridade religiosa do Norte do Paraná. Esse ambulatório funcionava na Vila Operária, para atendimento odontológico por religiosos enfermeiros sem habilitação profissional, vindos do exterior. Com a denúncia feita pela AMO ao Ministério Público, ele foi lacrado pela justiça. Mais tarde, com a violação do lacre por ordem daquela autoridade religiosa, encetou-se um processo crime contra os dirigentes do ambulatório, inclusive conceituado médico que exercia a função de dirigente.

Na mesma época, o Dr. Newman da Silva Gomes foi indicado representante oficial do Sindicato dos Cirurgiões-Dentistas do Paraná (não existia ainda o Conselho Federal de Odontologia), com a finalidade de, com esse respaldo, incrementar o combate ao exercício ilegal da odontologia. Sob o seu comando, foram logo cadastrados todos os profissionais que exerciam a Odontologia em Maringá, como segue:
Arno Wilibaldo Vier, Arnoldo de Oliveira, Carlos Arouca, Eduardo Theobaldo de Assis, Filip Aszalos, Francisco Duarte Filho, Hélio Moreira, Jefferson Caligueri, José Carlos Rosas, José de Carvalho Silva Jr., José Ribeiro de Faria, Laércio Nickel Ferreira Lopes, Luiz Roberto Nickel Ferreira Lopes, Maria de Lourdes Borelli Cid, Massaro Kubo, Newman da Silva Gomes, Newton Henrriques, Roldão Ribeiro, Rizio Costa e Rubens Garcia Bastos.
Também foram cadastrados outros seis “dentistas”, mas, com consulta às Faculdades que lhes teriam outorgado o título, ficou constatada a falsidade dos diplomas, fato levado ao conhecimento da Promotoria Pública e do chefe do Posto de Saúde, que imediatamente tomaram as providências necessárias para o encerramento de suas atividades.

Presidentes

(Até a gestão 2002/2004), foram presidentes da AMO os seguintes cirurgiões-dentistas: 1953 - José de Carvalho Silva Jr.; 1954 - Laércio Nickel Ferreira Lopes; 1955 - Newman da Silva Gomes; 1960 - Akira Oda;1961 - Akira Oda; 1962 - Newman da Silva Gomes; 1963 - Laércio Nickel Ferreira Lopes; 1964 - Fumio Maeda; 1965 - Altair Bornelli; 1966 - Akira Oda; 1967 - Alfredo Couto Nelli; 1968 - Jorge Shiba; 1969 - Amélio da Silva Gomes Filho; 1970 - Jorge Shiba; 1971 - Henrique Geraldo Marino; 1972 - João Sakai; 1973 - Laércio Nickel Ferreira Lopes; 1974 - Wanderley de Almeida Cezar; 1975 - Fumio Maeda; 1976 - Estêvão Rosa; 1977 - Alfredo Henrique da Silva Leite; 1978 - Wanderley da Silva Leite; 1979 - Carlos Gomes; 1980 - Carlos Gomes; 1981 - José Oswaldo Vieira; 1982 - Haruo Kanawa; 1983 - Edson Betazzi; 1984 - Nélson Luis Teixeira; 1985 - Newman da Silva Gomes; 1986 - Ricardo Benedito de Oliveira; 1988 - Emerson Brás; 1990 - José Oswaldo Vieira; 1992 - Amélio da Silva Gomes Filho; 1994 - Nestor Urbaninho Curti; 1995 - Wagner João Carreira; 1996 - Wagner João Carreira; 1997 - Ademar B. Mello Júnior:1998-99; Antonio da Costa: 2000-01; Alexis Molim Junior: 2001-02; Amélio da S. Gomes Filho: 2002-2004.
Fatos Relevantes

Utilidade Pública Municipal

Em 13 de outubro de 1965, a Câmara Municipal de Maringá declara entidade de utilidade pública a Associação Maringaense de Odontologia, por força da Lei n.o 411/65, de autoria do vereador José Carlos Rosas, sócio-fundador da associação. Em 23 de outubro, a lei sancionada pelo Prefeito Municipal de Maringá, Dr. Moreira de Carvalho.

Utilidade Pública Estadual

Em 01 de outubro de 1979, por proposta do Deputado Estadual Renato Bernardi, a Associação Maringaense de Odontologia foi declarada entidade de utilidade pública estadual, nos termos da Lei n.o 7.105, sancionada pelo Governador do Paraná, Ney A. Braga.

Reconhecimento pelo Conselho Federal de Odontologia

Em 02 de dezembro de 1979, o Conselho Federal de Odontologia aprovou o registro da Associação Maringaense de Odontologia, através da Portaria CFO/42, nos termos da Resolução CFO-114, de 24 de julho de 1977.

Filiação à Associação Brasileira de Odontologia

Em agosto de 1991, a Associação Maringaense de Odontologia filiou-se à Associação Brasileira de Odontologia - ABO.

A Primeira Sede

Localizada na Praça Raposo Tavares no 36, Edifício Herman Ludgren,  9o andar, salas 901 e onde ainda encontra-se o escritório da AMO. A sua aquisição deu-se em 1961, na gestão de Akira Oda.

A I Jornada Odontológica

A I Jornada Odontológica de Maringá realizou-se sob a gestão do Dr. Newman da Silva Gomes, no período de 26 a 29 de agosto de 1955, nas dependências do Aero Clube de Maringá, com a seguinte programação:
Prof. Dr. Luiz Pilotto - Curso de endodontia e cirurgia; Prof. Dr. Manoel Pacionick - Curso de periodontia.

A Escola de Aperfeiçoamento Profissional

A Escola de Aperfeiçoamento Profissional (EAP) foi criada em 1981, na gestão de José Oswaldo Vieira, sendo seu primeiro diretor Haruo Kanawa.
Os Primeiros Especialistas Credenciados pelo CRO
A entrega dos primeiros certificados de especialistas, realizou-se na sede da Associação Maringaense de Odontologia - AMO, no dia 15 de novembro de 1975. A reunião, especialmente convocada pelo Conselho Regional de Odontologia do Estado do Paraná contou com presença do seu atual presidente Dr. José Luis Matos de Abreu de Lima, que se fez acompanhar pela secretária executiva Lídia Alexandra. Receberam os certificados de especialista os seguintes cirurgiões-dentistas:. Amélio da Silva; Gomes Filho: Ortodontia; Estevão Rosa: Odontopediatia; Laércio Nickel Ferreira Lopes: Prótese dentária; Newman da Silva Gomes: Periodontia.
Os primeiros cirurgiões-dentistas a exercerem em Maringá exclusivamente a especialidade (anteriormente a pelo CFO de especialistas) foram os seguintes: Altair Bornelli - Odontopediatria (1963); Amélio da Silva Gomes Filho -Ortodontia (1963); Laércio Nickel Ferreira Lopes - Prótese e Reabilitação Oral (1969); José Osvaldo Vieira - Periodontia - (1973); Alfredo Henrique da Silva Leite - Endodontia (1974).

O Jornal da AMO

Na noite de 3 de agosto de 1983, para comemorar seus 30 anos de fundação, foi lançado o primeiro “Jornal da AMO” (ano I - número 1- julho/agosto 83), iniciativa do Presidente Edson Betazzi. A tiragem desse primeiro jornal, com 10 páginas, foi de 1.000 exemplares e a primeira equipe editorial era assim constituída: Diretor - Haruo Kanawa; Grupo Editorial - da Silva Gomes Filho, Devanir de Araújo Cervi, Edson Betazzi, José Oswaldo Vieira, Estêvão Rosa e Henrique Geraldo Marino; Comissão de Defesa da Classe - Alfredo Henrique da Silva Leite, Shudo Yassunga, Nélson Luiz Teixeira; Produção e Supervisão - Wellington Soares; Fotografias e reportagens - Íris Cine Foto; Jornalista responsável - José Oswaldo Vieira; Composição, montagem e impressão - Editora Gráfica Clichete.
Ainda na gestão do Dr. Edson Betazzi foi publicado o segundo jornal (setembro/outubro 83), interrompendo-se a publicação até 1991, quando, a partir da gestão do Dr. José Oswaldo Vieira, voltou a circular.

A Instalação da Primeira Clínica da EAP

A primeira clínica da EAP, foi inaugurada com um concorrido coquetel na noite de 22 de maio de 1996 as instalações clínicas da Escola de Aperfeiçoamento Profissional da AMO. Instalada em um prédio com 220 m2, situado à rua Joaquim de Castro Lopes n. 280. As instalações clínicas contam com 11 modernos equipos, raios x, salas de espera, esterilização, aula, prótese, lavabo e banheiros.
 
O Emblema da AMO
A Nova Sede
AMO

Diretorias

Wagner João Carreira

Presidente


Maria Paula J. Botelho

1º Secretário Geral


Antonio Carlos Pedralli Cariani

1º Tesoureiro


Paulo Alberto D. Nabarro

Diretor de Patrimônio


Alexis Molin Junior

Paulo Roberto Kruk

Ricardo Luiz Radaelli

Conselho Fiscal

Edson Betazzi

Vice-presidente

 

Gisele Valério Bianco Rego

2º Secretário Geral

 

Isabel Cristina C. Kohler

2º Tesoureiro

 

Renata P. Souza Carreira

Diretora Social

 

Carlos A. Herrero de Moraes

Marcia Nery Scramin

Tereza Cristina Rochel Giffon

Conselho Deliberativo

 

Wagner João Carreira

Presidente


Maria Paula J. Botelho

1º Secretário Geral


Antonio Carlos Pedralli Cariani

1º Tesoureiro


Paulo Alberto D. Nabarro

Diretor de Patrimônio


Alexis Molin Junior

Paulo Roberto Kruk

Ricardo Luiz Radaelli

Conselho Fiscal

Edson Betazzi

Vice-presidente


Gisele Valério Bianco Rego

2º Secretário Geral


Isabel Cristina C. Kohler

2º Tesoureiro


Renata P. Souza Carreira

Diretora Social

Carlos A. Herrero de Moraes

Marcia Nery Scramin

Tereza Cristina Rochel Giffon

Conselho Deliberativo

Atendimento

(44) 3028-7573

(44) 99922-0216 


amo@amo.org.br

Localização

Av. Nildo Ribeiro da Rocha, 5440
Pq. Industrial - Maringá - PR
>>Ver Mapa

Newsletter

Cadastre-se para receber nossos informativos

Mídia Social