Neodent abre nova filial no Chile e quer ser a 1ª no mundo em 5 anos

neodent-abre-nova-filial-no-chile-e-quer-ser-a-1-no-mundo-em-5-anos-1

Com 20% do mercado mundial de implantes dentários, a brasileira Neodent abre filial em Santiago, no Chile e quer, em cinco anos, ganhar o mercado global e se tornar a 1ª no ranking internacional.


A América Latina representa mais de 20% do mercado global de implantes dentários, com 3,2 milhões de unidades vendidas por ano. A nova filial irá reforçar a atuação estratégica da companhia no Cone Sul (Argentina, Chile e Uruguai) com a comercialização de implantes e outros componentes dentários produzidos pela fábrica em Curitiba.


“O objetivo da Neodent é se tornar, em cinco anos, a empresa número um em venda de implantes no mundo. O nosso plano é criar um centro de treinamento de implantodontistas no Chile com equipes de primeira linha, difundir cursos e realizar eventos aos profissionais da área para preparar uma geração de dentistas capacitados na mais alta tecnologia da indústria de implantodontia”, acrescenta presidente da Neodent, Matthias Schupp.


Polo de inovação - O Brasil é o 2º- maior mercado de implantes do mundo e vai se tornar o maior nos próximos cinco anos. “Em 2016, a Neodent vendeu mais de 1 milhão deles no Brasil e tornou-se a única empresa do segmento em todo o mundo a vender este número em um único país por dois anos consecutivos”, informa Schupp. No Brasil, são vendidos cerca de 2,2 milhões de implantes e cerca de 400 mil na Argentina.


“Em 2017, devemos exportar 40% de nossa produção e, no próximo ano, mais de 50%. A empresa está passando por um processo de crescimento e, com as novas filiais, devemos ter outra ampliação da fábrica em 2020”, explica Schupp, CEO da Neodent. Com os novos projetos, a Neodent irá duplicar o seu volume em 2017, crescendo ainda mais no Brasil.


Para dar conta da demanda, a Neodent está expandindo a sua fábrica com um investimento de mais de R$ 60 milhões. A empresa também está construindo um novo e moderno centro logístico em Curitiba que irá movimentar mais de 10 milhões de itens de implantes dentários e componentes protéticos por ano – representando um acréscimo de 50% a mais de máquinas na sua fábrica.